Poesia, música em piano e fotografia. Tudo assim: muito simples, que simples é muito melhor.

O que se escreve

Domingo, 18 de Outubro de 2009

Caminho em ruas desertas,

De pessoas que não são gente repletas.

 

Faces que não são rostos

Cruzam-se, em caminhos opostos.

 

Os seus olhos vazios, que espelham

Nada mais que o seu próprio vazio,

Perturbam-me o andar,

Fazem-me cambalear

Nestas ruas, desertas,

Falsamente completas.

 

Desprovido de força,

Tombo, cobrindo meu rosto,

Na árida calçada

Desta cidade abandonada.

 

 

Nota: Poema escrito a 27-07-2009.

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto tirada a 23-08-2009, em Vila Flor, perto do Santuário da Senhor da Assunção.

Pedro Simão Mendes às 18:10

Nós somos a Fábrica de Letras (http://fabricadeletrasepalavras.blogspot.com/).
Estamos a iniciar um projecto de blogagens colectivas.
Pretendemos que os bloguers portugueses possam interagir e dar-se a conhecer.
No dia 1 de cada mês, a Fábrica de Letras lançará um tema. Para participar basta escrever um texto sobre o tema proposto e inscrever-se no link que estará à disposição no blog, no dia 15 de cada mês.
Podem ser usados textos,poemas, contos, fotos ou vídeos. Participa, divulga!
Fábrica das Letras a 22 de Outubro de 2009 às 15:26