Poesia, música em piano e fotografia. Tudo assim: muito simples, que simples é muito melhor.

O que se escreve

Sábado, 09 de Outubro de 2010

Vem, sol de Outono,

Aquece-me hoje e amanhã e depois,

Que o frio não tarda em aparecer.

 

Vem, sol de Outono,

Que o teu brilho tem outra magia

Quando toca as folhas douradas.

 

Como é bom acordar

E ver-te levantar no horizonte

Para aqueceres a água

Daquele pequeno ribeiro das traseiras de minha casa!

 

Vem, sol de Outono,

E aquece-me por dentro e por fora,

Que o frio não tarda...

26.11.2009

Pedro Simão Mendes às 22:51