Poesia, música em piano e fotografia. Tudo assim: muito simples, que simples é muito melhor.

O que se escreve

Terça-feira, 09 de Fevereiro de 2010

Escarna-me o peito

Em faustosa ostentação

E fixa em meu coração teus dentes.

 

Faz de mim um festim ensanguentado

E sacia-te, hiante criatura!

 

 

 

Nota: Escrito a 06.11.2009, este poema trata do lado carnal e animalesco, quase canibal, do ser humano. E a verdade é que todos procuramos saciar-nos, de uma forma ou de outra.

Pedro Simão Mendes às 09:02